Silvia Carvalho - 01/01/2006

O Programa Além das Letras premia anualmente iniciativas educacionais que priorizem a formação continuada de crianças e jovens, com o objetivo de alfabetizá-los e também prepará-los para a vida. O Além das Letras foi criado pelo Instituto Avisa Lá para dar visibilidade a propostas inovadoras de alfabetização. Sílvia Carvalho, coordenadora-executiva do Instituto Avisa Lá, fala sobre a segunda edição do Prêmio Além das Letras e sobre toda a proposta do programa.

Portal do Voluntário - Como surgiu o Programa Além das Letras e com qual objetivo?

Sílvia Carvalho - O Além das Letras surgiu como uma iniciativa conjunta do Instituto Avisa Lá. O objetivo é dar visibilidade ao tema da alfabetização. O Além das Letras é composto de uma premiação e de uma rede virtual de formadores com foco no aperfeiçoamento profissional de professores alfabetizadores dos sistemas municipais de ensino. A rede é voltada para troca de experiências e produção de conhecimento na área.

Portal do Voluntário - Quem são os parceiros deste programa?

Sílvia Carvalho - O Programa Além das Letras é uma iniciativa conjunta do Instituto Avisa Lá, da Fundação Avina e do Instituto Razão Social. O Grupo Gerdau é responsável por seu financiamento e a empreitada. A Undime, a Unesco, a Unicef e a Ashoka apóiam institucionalmente .

Portal do Voluntário - Como é desenvolvido?

Sílvia Carvalho - O Programa Além das Letras é composto de quatro fases:

  • Divulgação: todos os municípios brasileiros recebem o material de divulgação do prêmio com o regulamento do programa e a ficha de inscrição, dentre outras ações de comunicação;
  • Seleção: as práticas educacionais inscritas pelos municípios são avaliadas;
  • Premiação;
  • Rede: o Programa Além das Letras é também uma rede virtual na qual os formadores de diferentes municípios se comunicam entre si e também com a consultoria na cidade de São Paulo.

Portal do Voluntário - O programa foi elaborado pelo Instituto Avisa lá. Fale sobre o Instituto.

Sílvia Carvalho - O Instituto Avisa Lá é uma organização não governamental, sem fins lucrativos, com finalidade pública, que atua na área de educação. A atuação, que teve início com trabalhos voltados exclusivamente para a educação infantil, foi ampliada para atingir as séries iniciais do ensino fundamental. O foco principal é a contribuição para a formação continuada de profissionais da educação. Nossa missão é melhorar a qualidade da educação pública por meio do desenvolvimento profissional e pessoal de educadores e do fortalecimento do potencial educativo das escolas e centros educacionais.

Portal do Voluntário - Por que o foco na questão da alfabetização?

Sílvia Carvalho - Nós temos um sonho, que todas as crianças brasileiras de baixa renda possam se alfabetizar de maneira completa. Que não saiam na oitava série sem entender o que lêem, sem conseguir elaborar um parágrafo legível. Nós, educadores e a sociedade brasileira, não podemos ficar satisfeitos enquanto essas crianças não tiverem uma educação da mais alta qualidade. Para que isso ocorra é necessária uma alfabetização para além das letras.

Portal do Voluntário - Que outros projetos na área de educação são desenvolvidos pelo Avisa lá?

Sílvia Carvalho - O Instituto Avisa lá desenvolve os seguintes projetos:

  • Projeto Capacitar, PEI- Programa de Educação Infantil (Abrinq) - Compartilhar: Os programas de formação continuada abrangem quatro dimensões essenciais; a ação pedagógica, a dimensão coletiva, a da organização institucional e do desenvolvimento pessoal. Os projetos envolvem toda a unidade, educadores, a equipe dirigente, os profissionais de apoio visando a melhoria da qualidade do atendimento.
  • Formação de Formadores - Capacitar Regionalizafo e Tutoria: esses projetos trabalham com a criação de contextos permanentes de formação coletiva e continuada nas instituições parceiras. Essas instituições desenvolvem um projeto em centros de educação infantil a partir da metodologia de formação continuada do Instituto Avisa Lá, que oferece uma consultoria durante o processo.
  • Computador na escola - Projeto Kidsmart -IBM e Memória Local: projetos destinados à rede pública de escolas de educação infantil e ou ensino fundamental visando a introdução do computador como ferramenta pedagógica e o uso da internet para educação a distância.
  • Projetos Especiais: Consultoria para equipes técnicas de prefeituras e centros educacionais; Projeto Mexe Remexe – integração entre Arte e Educação; Cursos específicos, publicações e vídeos para formação de educadores.

Portal do Voluntário - As inscrições para o Prêmio Além das Letras terminam no final do mês. O que é e qual o objetivo desta premiação?

Sílvia Carvalho - O prêmio nasceu do ideal de que, no Brasil, todas as crianças de baixa renda sejam alfabetizadas plenamente nas escolas públicas e completem o Ensino Fundamental sabendo mais do que assinar o próprio nome e ler textos simples. Foi criado em 2004 e faz parte do Programa sob o mesmo título. O objetivo é apoiar a elaboração de projetos de formação continuada. Para esta edição, os organizadores esperam receber cerca de 250 inscrições e novamente serão selecionados pelo menos 20 municípios.

Portal do Voluntário - Quem pode participar?

Sílvia Carvalho - O programa é voltado a coordenadores pedagógicos e professores nos municípios brasileiros. Para participar da segunda edição do Prêmio Além das Letras, os interessados devem inscrever seus projetos de boas práticas de formação em alfabetização no site http://www.alemdasletras.org.br. O prazo para inscrições termina em 30 de junho. Para a seleção dos melhores projetos são levados em conta os seguintes critérios: capacidade de produzir conhecimento para a rede, iniciativas com possibilidades de transformarem-se em políticas públicas sustentáveis e a presença de resultados mensuráveis, entre outros.

Portal do Voluntário - Como foi o primeiro Prêmio Além das Letras?

Sílvia Carvalho - Na primeira edição, o Prêmio Além das Letras selecionou 20 municípios de um total de 88 participantes, que apresentaram seus projetos de formação continuada de alfabetizadores da rede pública municipal.

Portal do Voluntário - Como funciona a Rede de Formadores em Alfabetização?

Sílvia Carvalho - Trinta e nove municípios participam da Rede de Formadores do Além das Letras. As experiências selecionadas compõem a Rede Além das Letras, uma comunidade virtual de formadores de diferentes municípios brasileiros para a troca de experiência e produção de conhecimento na área da formação continuada em leitura e escrita. Os formadores dos municípios recebem uma viagem à cidade de São Paulo para um seminário de trabalho de 3 dias com especialistas em alfabetização e formação continuada e recebem uma assessoria por um ano para desenvolver novas práticas de formação em alfabetização, sem custos para o município.
As equipes técnicas dos municípios desenvolvem projetos de formação com seus coordenadores pedagógicos que por sua vez trabalham com os professores atividades de leitura e escrita, preparam um planejamento, apoiado pela equipe do Avisa Lá, desenvolvem encontros locais, encaminham os registros das reuniões e supervisões, são assessorados a distância, com subsídios teóricos e práticos, participam de dois chats mensais. Todo material produzido está no site www.alemdasletras.org.br.